Cesárea por opção.

Podem até dizer que sou politicamente incorreta, mas é a minha opinião e gostaria de dividi-la com outras pessoas.IMG_0830

Nunca quis muito ter parto normal. Mas às vezes ficava na dúvida, pois tinha  a questão da anestesia e todos falavam da tal recuperação difícil da cesariana.

Como não tenho muita resistência a dor e não sou muito chegada a imprevistos, preferi mesmo não passar pelas dores das contrações nem ser surpreendida pela bolsa estourando de madrugada ou no meio de uma reunião de trabalho. Optei então pela cesárea. E não me arrependo nem um pouco.

 A anestesia não doeu e eu não tive qualquer tipo de reação. Só uma sensação esquisita ao não sentir nem poder movimentar as pernas, mas que todos sabemos que é assim mesmo. Algumas pessoas falam que sentem uma pressãozinha quando começam a cortar a barriga. Pois eu, nem isso senti. Só percebi estavam cortando porque o bisturi elétrico faz fumaça.

Tudo é muito rápido. Acho que deve demorar uns 40 minutos.

Mas ainda faltava a tal recuperação. Pois bem, dói um pouco sim, mas algo totalmente suportável. Dá para andar, sentar e levantar no dia seguinte à cirurgia. Para falar a verdade só senti dor um local específico (no meu caso,  num ponto do lado direito), um ponto especial que “amarra tudo”.

Ah, nem dor de gases eu tive. Mas evitei falar no dia em que fiz a cesárea. Isso é uma dica importante. Leve caderninho e caneta para se comunicar e abuse das mímicas e gestos. Pense que está jogando Imagem e Ação.

A verdade é que as pessoas reagem de formas diferentes  à cesariana e ao parto natural. Acho que cada um deve conversar como o médico e tomar a decisão mais adequada ao seu caso. Muita gente, porém, opta por parto natural e acaba tendo que fazer cesárea e sofre por conta disso. Uns porque acham que ao não sentir as contrações não estão passando por todo o processo da maternidade, outros porque têm medo. O fato é que ninguém será menos mãe porque não teve contrações e nem o parto cesárea é um bicho de sete cabeças  (talvez o parto natural também tivesse sido mais simples do que eu imagino…). 

Desde o início da gravidez  a hora do parto era uma preocupação pra mim. Espero que não aconteça o mesmo com você. Ao ler sobre o assunto lembre que algumas pessoas podem ter tido uma experiência difícil, mas para muitas outras outras o parto foi um momento de tranquilidade e felicidade. Porque você não pode estar neste segundo grupo?

Relaxe e aproveite.

A visita de Luisa.

IMG_1168Ontem recebi uma visita muito esperada: da minha prima postiça Luisa, filha do tio Spinelli e da tia Drica, irmã do Pedrão e afilhada do papai e da mamãe.

Mamãe ficou impressionada de ver como ela cresceu e engordou. Luisa nasceu um pouco antes de mim, no dia 10/03.

Ah, tio Spinelli ficou desesperado ao ver papai pegar nós dois no colo para tirar a foto acima. Calma, tio, o papai aguenta!

Meu tio bisavô Jossio também veio me conhecer ontem.

IMG_1178

Era uma vez um umbigo…

Meu umbigo caiu. Ele já estava por um fio há uns dois dias. Há pouco a bá Cida foi trocar a minha fralda e viu que ele tinha caido. Foi correndo mostrar ao papai e à mamãe.

Agora tem que passar água oxigenada 10 volumes por 5 dias.

Oba, nova fase!

“Andando” na primeira visita ao pediatra.

Ontem fui pela primeira vez ao pediatra, Dr. Luis Otávio, com mamãe e vó Loló. Ele viu meu ouvido, minha garganta, pesou e até me colocou para andar, acreditam? É que nesta fase a gente tem o reflexo de dar passos se nos colocam em pé, mas depois a gente perde e só recupera lá na frente, quando começa  a andar de fato. Pelo menos foi o que a mamãe viu na TV.

Ele pediu o teste do pezinho e fiz o exame hoje. Fui novamente exemplar: não chorei, só dei um gritinho.

Recebi a visita dos tios Fabio e Dani.