Índio sem Apito.

Aqui no prédio já é carnaval. Sábado passado teve bailinho que começou às 10 da manhã e só terminou às 11 da noite com um festival de hamburguer (e eu e meus colegas dormindo no carrinho). Mais uma organização da Tia Lú Eventos e Cia, a festinha foi super animada, com direito à decoração temática, confeti, serpentina e uma seleção de músicas feita pelo tio Felipe, pai do João. Eu dancei até cansar e adorei brincar com o confeti. Ninguém saiu ileso.

Adultos e crianças estavam fantasiados. Eu e Lorenzo estávamos de índio. Tinham piratas, super heróis, bailarina, havaianas leão coelhinha. Destaque para tia Lú de Minie, tia Erika de bruxa, tio Pequinho com uma fantasia muito doida, mas muito legal, e papai de “mulher”.

Refreshing 3…

Na última visita ao pediatra, dia 4/02, estava com 84,5 cm e 10, 450 Kg. Falo muito (repito tudo o que dizem), canto, corro e gosto de pular. Já aprendi que se bater as perninhas me locomovo nas piscina e sei contar até dez. Muitas vezes peço para fazer cocô no vaso, as ainda não desfraldei. Também já estou querendo comer sozinho, mas faço muita lambança. Em casa ainda faço mamãe, papai e Cida correrem atrás de mim, mas na creche como na mesinha. Pra mim, como disseram na creche, a hora da comida é uma grande brincadeira. Mamãe, isso não é bom, mas ainda tem solução.

Nova Etapa: a Creche.

Enfim chegou o dia da minha estreia na vida acadêmica. Mamãe, para variar, ficou ansiosa, mas curtiu muito os preparativos. A mochila ficou por conta do papai, que viajou para NY e trouxe uma do Toy Story, junto com a merendeira. Num dia de folga da mamãe fomos comprar os uniformes. E depois era a hora de colocar o meu nome em tudo.

Foi em 7/02/2011. No primeiro dia Cida foi me pegar – mamãe ainda estava trabalhando – e ficou por lá me esperando até a hora que mamãe foi nos buscar. No segundo e terceiro dias quem ficou lá comigo foi a mamãe, que já estava de férias. Bem, no quarto dia, Cida foi me levar, mas nem precisou ficar porque eu já estava super adaptado. E não chorei nenhum dia. Como diria a tia Lú, mamãe do Arthur Lobo, coisa de “menino grande”.

Os professores:

Cristiane

Carolina

Josi

Alan – música

Pedro – corpo e expressão

Alessandra – roda de histórias

Juliana – inglês

Helen – artes

Programação cultural e social

Minha vidinha anda bastante agitada nos últimos tempo. Festas de aniversários, eventos do prédio e idas ao teatro.

Na vida cultural, Lulú tem sido uma grande companheira. Primeiro fomos ver Peixonauta, no shopping da Gávea. Quer dizer, no final, só quem viu foi a Lulú, pois eu fiquei assustado e pedi para sair, pra ir “pá lá”. Então fiquei rodando pelo shopping e ao terminar a peça Lulú me encontrou no pula-pula. De lá fomos comer uma pizza no Frontera. Mamãe, Cida e tia Drica nos acompanharam.

Logo no outro fim de semana fomos ver Doki no Vivo Rio. Mamãe estava um pouco apreensiva, mas desta vez me comportei muito bem e curti pra caramba o show junto com a Lulú. Cantamos, batemos palma e comemos batata frita smiles. Antes da Lulú chegar, aproveitei para brincar no pátio externo do MAM, onde fica o Vivo Rio, um lugar muito bonito, principalmente em dia de sol.