(Antes de) Ser Mãe.

Recebi um texto lindo da Flavia Nesi, uma amiga do trabalho, sobre o que é ser mãe. O texto foi escolhido para ser lido na festa do Dia das Mães da escolinha de sua filha. Ela disse que todo mundo chorou. Eu  fiquei  emocionada quando li e resolvi repassar para minha mãe e algumas amigas. Muitas delas disseram que  também choraram ao ler o texto.

“Antes de ser mãe eu fazia e comia os alimentos ainda quentes.

Eu não tinha roupas manchadas.

Eu tinha calmas conversas ao telefone.

Antes de ser mãe eu dormia o quanto eu queria e nunca me preocupava com a hora de ir para a cama.

Eu não me esquecia de escovar os cabelos e os dentes.

Antes de ser mãe eu limpava minha casa todo dia.

Eu não tropeçava em brinquedos nem pensava em canções de ninar.

Antes de ser mãe eu não me preocupava

se minhas plantas eram venenosas ou não.

Imunizações e vacinas eram coisas nas quais eu não pensava.

Antes de ser mãe ninguém vomitou nem fez xixi em mim, nem me beliscou sem nenhum cuidado, com dedinhos de unhas finas.

Antes de ser mãe eu tinha controle sobre a minha mente, meus pensamentos, meu corpo e meus sentimentos.

… eu dormia a noite toda …

Antes de ser mãe eu nunca tive que segurar uma criança chorando para que médicos pudessem fazer testes ou aplicar injeções.

Eu nunca chorei olhando pequeninos olhos que choravam.

Eu nunca fiquei gloriosamente feliz com uma simples risadinha.

Eu nunca fiquei sentada horas e horas olhando um bebê dormindo.

Antes de ser mãe eu nunca segurei uma criança só por não querer afastar meu corpo do dela.

Eu nunca senti meu coração se despedaçar quando não pude estancar uma dor.

Eu nunca imaginei que uma coisinha tão pequenina pudesse mudar tanto a minha vida.

Eu nunca imaginei que pudesse amar alguém tanto assim.

Eu não sabia que eu adoraria ser mãe.

Antes de ser mãe eu não conhecia a sensação de ter meu coração fora do meu próprio corpo.

Eu não conhecia a felicidade de alimentar um bebê faminto.

Eu não conhecia esse laço que existe entre a mãe e a sua criança.

Eu não imaginava que algo tão pequenino

pudesse fazer-me sentir tão importante.

Antes de ser mãe eu nunca me levantei à noite a cada 10 minutos para me certificar de que tudo estava bem.

Nunca pude imaginar o calor, a alegria, o amor, a dor e a satisfação de ser uma mãe.

Eu não sabia que era capaz de ter sentimentos tão fortes.

Por tudo e apesar de tudo só posso agradecer por eu ser agora um alguém tão frágil e tão forte ao mesmo tempo.

Obrigada por permitir-me ser Mãe!”

(Elaine Mallika)

Lanchinho para mamães.

O Dia das Mães está chegando e, como não poderia deixar de ser, teve festa no meu prédio.

Com a eterna liderança da Tia Lú, as babás preparam tudo com muito carinho para receber todas as mamães do prédio. Tinha decoração especial com um varal de fotos das mamães e “bás” com seus filhotes e  brindes para elas. Tudo, é claro, idéia da tia Lú, que, aliás, além de uma ótima organizadora de eventos, é também a fotógrafa oficial do Villa Leone.

As babás prepraram uma homenagem especial à Tia Lú, a mãe das mães, e entregaram um buquê de flores do campo.

Mamãe saiu mais cedo do trabalho para poder is  à festinha, que contou também coma presença da vó Loló. Vó Gina não pode ir. O papai chegou no final. E bá Cida, minha mãe preta, também estava presente.