Use Cadeirinha!

Há tempos quero fazer um post sobre o tema. Pouco antes do Mateus nascer começou a se falar mais nesta questão da cadeirinha de carro para bebês. Mateus já saiu da maternidade numa delas.

Confesso que no começo implicava um pouco com ela. Neste momento ela ainda usava aquele modelo em que a criança fica de costas, indicada para quem tem menos de 1 ano ou até 9 quilos. Na verdade a minha era cadeirinha de carro e bebê conforto. Ele detestava ficar ali amarradinho e chorava muito. Queria tirar ele correndo, mas meu marido não deixava. Então só me restava rezar para ele dormir. Só assim ficava se chorar.

Antes mesmo de ele completar um ano fomos ao shopping escolher a nova cadeira. Ele foi conosco e colocamos ele sentado na cadeira dentro da loja. Ficou todo feliz e eu respirei aliviada. Ufa! Mas a primeira vez que usamos a cadeirinha no carro foi um desastre. Ele chorava de ficar sem ar. Parecia que estava sentindo alguma coisa. Achamos que tinha ficado enjoado por estar, pela primeira vez, andando de carro virado para a frente. Neste dia o desepero foi tão grande que o tiramos dali e o levamos no colo.

A verdade é que ainda hoje ele não curte muito a cadeirinha. Depois de um tempo de viagem começa a reclamar e só nos resta apelar para brinquedos, celulares e musiquinhas de ninar. Às vezes abrimos a janela do carro, o que também costuma acalmá-lo. O fato é que depois que vi numa reportagem o que acontece com o bebê em caso de acidente se ele estiver solto, nunca mais o tirei da cadeirinha com  carro em movimento.

Por falta de produto no mercado, adiaram para primeiro de setembro a obrigatoriedade do uso da cadeirinha. Mas a do Mateus está lá. Aliás, estão lá. Uma no carro da mamãe e outra no carro do papai. Não dá pra vacilar.

Campanha:

Acesse as notícias:

Bebê Confort Brasil Facebook

Anúncios